01 janeiro 2012

Pernas Para Que Vos Quero – Estudos Coreográficos II




EstCoreoPernas#000 [JMB]




 
 


Pernas Para Que Vos Quero
brancas esguias compridas musculadas aristocráticas curtas morenas abertas volumosas displicentes fechadas escorreitas flectidas tensas servis alongadas pretensiosas altivas cristalizadas vadias inertes vaidosas preponderantes teimosas sonolentas discretas velozes altas suaves esbatidas esticadas proeminentes imóveis medonhas
as pernas da bailarina





. trajecto . percurso . caminho . viagem . movimento .
excertos de aula



EstCoreoPernas#005 [JMB]EstCoreoPernas#006 [JMB]


EstCoreoPernas#008 [JMB]EstCoreoPernas#009 [JMB]


EstCoreoPernas#011 [JMB]EstCoreoPernas#015 [JMB]


EstCoreoPernas#016 [JMB]EstCoreoPernas#018 [JMB]


EstCoreoPernas#020 [JMB]EstCoreoPernas#021 [JMB]


EstCoreoPernas#022 [JMB]EstCoreoPernas#026 [JMB]


EstCoreoPernas#032 [JMB]EstCoreoPernas#033 [JMB]


EstCoreoPernas#036 [JMB]EstCoreoPernas#037 [JMB]


EstCoreoPernas#044 [JMB]EstCoreoPernas#047 [JMB]


EstCoreoPernas#048 [JMB]EstCoreoPernas#049 [JMB]


EstCoreoPernas#054 [JMB]EstCoreoPernas#056 [JMB]


EstCoreoPernas#060 [JMB]EstCoreoPernas#061 [JMB]


EstCoreoPernas#063 [JMB]EstCoreoPernas#068 [JMB]




As pernas da bailarina
São a paleta e o pincel
Que em movimentos de artista
Pintam telas e aguarelas
Sobre a fantasia e a magia
Das coreografias bem estudadas


As pernas da bailarina
São o lápis do poeta
Que entre suspiros de dor
Escorrem letras de poemas de amor
Ou entre as notas da canção
Soltam gemidos de emoção não contida


São assim
As pernas da bailarina
Que num corpo de menina
Dão asas ao mundo
Que a nós ensina


©2012 Luísa Vaz Tavares em 
Um breve improviso para deixar um beijinho ao fotógrafo e à bailarina




EstCoreoPernas#066 [JMB]EstCoreoPernas#067 [JMB]EstCoreoPernas#069 [JMB]

  


Agradecimentos
 


LUÍSA VAZ TAVARES


ESPAÇO SACRAMENTO


ginasiano_thumb2





Protected by Copyscape Plagiarism Tool

1 comentário:

Liz disse...

As pernas da bailarina
São a paleta e o pincel
Que em movimentos de artista
Pintam telas e aguarelas
Sobre a fantasia e a magia
Das coreografias bem estudadas

As pernas da bailarina
São o lápis do poeta
Que entre suspiros de dor
Escorrem letras de poemas de amor
Ou entre as notas da canção
Soltam gemidos de emoção não contida

São assim
As pernas da bailarina
Que num corpo de menina
Dão asas ao mundo
Que a nós ensina

Um breve improviso para deixar um beijinho ao fotógrafo e à bailarina.