26 novembro 2009

Verdes de espera…





Verdes de espera [JMB]




Revejo à partida de todas as                     manhãs
teus olhos castanhos ou                     verdes
de mar                     ou terra
navegado ou                     percorrida
Teus olhos verdes de                     espera
tão verdes                     que nem sei
como dois lagos                     ou fontes
ou oceanos                     dois
navegantes nus                     os meus
da fronte pesada e líquida                     suspensos
se abrem de incógnitos marinheiros                     ciosos
que te penetram                     derivando
navegando                     nas ondas
de espuma                     do teu sorriso


Olhos nus
- como deuses -
verdes
Teus olhos verdes
como dois oceanos pendentes da fonte
não tive tempo de os perder
(Entraste em mim
ébria de desejo e ternura)


Húmidos de sorriso e noite
foram meu cárcere primeiro
Não esperaste o sim
da serena inquietude
na longa noite em que ambos nus
deitámos à beira da paixão feita


mãos
e beijos
muitos





Protected by Copyscape Original Content Validator

Sem comentários: