17 fevereiro 2009

Para lá da contingência

 

 

 

ParaLáDaContingência

Tu bem sabes

Como da morte e da vida

Se fala…

Tu bem sabes

O Gesto

Onde os homens e a circunstância

Se dão as mãos e se calam…

 

 

 

Tu bem sabes

Dos desertos e do amor,

Onde a Luz

E os momentos se eternizam,

Porque verdadeiros

E não falam…

 

 

 

(Laura Isabel in “Para Lá do Rosto, Poemas”, Metanoia - Porto, Maio 1983)

(Desenho de Laura Isabel, 1980, gentilmente oferecido)

 

 

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

1 comentário:

Cão Vadio disse...

Foi minha professora anos atrás. hoje encontrei um livro dela. Pena ter descoberto a minha veia poética anos depois já ela não estava entre nós