24 julho 2008

Em noite de lua acesa




Em noite de lua acesa
por ti estas palavras apressadas
- Porque me foges sempre que te olho nos olhos?
Mostra-me clara a fisionomia do teu rosto perdido no espaço
e dir-te-ei quem és e com o que sonhas
Adivinhar-te-ei de igual modo no teu desejo as estrelas cadentes
- Tens receio?
Não! Olha-me de frente
Fita-me nos olhos já gastos
E juntos aprendamos os estadios da paixão…


Em noite de lua branda
olhemos juntos o espaço aberto
de uma janela sem horizonte definível
inquietante
E encontraremos lá no limiar mais próximo do infinito
Aquela estrela brilhante…



Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

Sem comentários: