04 junho 2008

Barbárie!!!

Dez cavalos abatidos a tiro no Corno do Bico

Cavalos de raça garrana foram abatida a tiro de caçadeira com zagalote, entre anteontem e ontem, em plena Paisagem Protegida de Corno de Bico.
As autoridades estão a investigar mas, para já, não encontram explicações para a chacina. Uma dezena de cavalos de raça Garrana foi abatida a tiro de caçadeira com zagalote (munição mortífera utilizada para capturar caça grossa), entre anteontem e ontem, nos concelhos de Paredes de Coura e de Arcos de Valdevez, em plena Paisagem Protegida de Corno de Bico.
Um primeiro grupo de animais, três mortos e dois gravemente feridos, que acabaram por ter de ser abatidos pelo veterinário municipal, foi encontrado, anteontem, em locais dispersos daquele território classificado, em Arcos de Valdevez, e o restantes cinco, todos já cadáver, ontem durante o dia em zonas pertencentes ao município de Paredes de Coura. Foi detectado ainda um potro ferido, que acabou por escapar às autoridades sanitárias.
O caso está a ser investigado pela GNR e deverá, segundo fonte daquela força policial, ser participado ao Ministério Público (MP) na qualidade de "crime de dano".
O proprietário de grande parte dos garranos abatidos, Carlos Araújo, residente na freguesia de Bico e que terá sido o primeiro a alertar a GNR de Paredes de Coura para a situação, anteontem à tarde, adiantou ao JN que irá "seguir a via judicial" apresentando uma queixa-crime contra incertos. Motorista de profissão e proprietário de duas dezenas de garranos, terá perdido oito cabeças nesta mortandade ocorrida enquanto as manadas pastavam soltas, nas serranias da Paisagem Protegida de Corno de Bico.
Araújo garante desconhecer qual possa ter sido a origem da chacina. "Ontem (segunda-feira) por volta das 16 horas, um colega meu sentiu uns tiros na serra, fui ver e quando lá cheguei já encontrei cinco garranos mortos e hoje (ontem) de manhã, encontrei os outros", contou o proprietário. "Não tenho suspeitos nem vejo motivos para uma coisa destas", refere. Fonte da GNR de Arcos de Valdevez referiu, ao JN, não existir, de momento, quaisquer explicação para o sucedido, mas que já estará em curso um processo de averiguações e que o caso será participado ao MP. "Todos os animais vão ser removidos por uma equipa do Ministério da Agricultura, provavelmente, para um aterro sanitário da área de Lisboa", referiu a fonte.
Há cerca de um ano, terão sido abatidos de forma idêntica outros cinco garranos, também em Corno de Bico, na área de Arcos de Valdevez. De acordo com o Registo Zootécnico da raça iniciado em 1994, em Portugal existirão cerca de dois mil cabeças - 1500 adultos e 500 poldros - dispersos por dezassete concelhos nas províncias do Minho e Trás-os-Montes.

(Jornal de Notícias, 04.Junho.2008)

Sem comentários: