19 maio 2008

Espera / Três minutos



Espera
Longa espera
Um dia de mãos vazias
Neste silêncio duro.

Dói-me o silêncio
A alma se esvai
Em púrpuras golfadas de vida
Silêncio impertinente
Indesejado
Mal-amado.

Momento fugaz
Sonho esbatido
Flor que murcha
De tanto amor dar.

(E logo voou, desacorrentada,
De um longo caminhar.)

















Três minutos depois…

Espera Breve Espera Áspera
Que breve ainda




Hoje me deitei só…



Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


Sem comentários: